Crepes…

Falar de Paris pode até parecer plágio tal a quantidade de frases e ensaios que existem na literatura, na internet, na vida. Mas como deixar de falar sobre os grandes amores e paixões que passaram por essa cidade de tanta magia? Pois é. Afinal de tanto pesquisar sobre o assunto findei descobrindo que Abelard e Eloise, após seus idílios, costumavam comer crepes as escondidas nas ruas da Paris medieval. Como? Perguntarão alguns. Respondo: Bem que poderia ser verdade, pois essa iguaria bretã, dizem alguns estudiosos, já estava na mesa do francês desde o século V. Lendas, pois a origem dos crespos que é o significado de crepes, resultado do contato da massa com a chapa quente, possui outras versões. Doce ou salgado, quem ama e quem decide, tanto faz. Mas verdade mesmo é que me apaixonei pelos crepes franceses desde a primeira vez que coloquei os pés em Paris e para completar pelo mais simples deles, o beurre sucre. Quem vai entender o amor? Assim é que passei a reparar nas creperias, nos quiosques e nos carrinhos que proliferam nas ruas da cidade e observei que um grande boulevard ou
uma rua, só possuem personalidade quando trazem consigo essa pequena ilha de prazer seja na forma que for. Nesse momento, hospedado em Montparnasse reparei que o Boulevard do mesmo nome é um dos que mais possui quiosques e carrinhos dessa verdadeira instituição parisiense. Quer saber mais? Percorrendo a noite as ruas desse bairro, descobri o paraíso dos crepes em Paris: A rue Montparnasse entre o Boulevard e a rue Edgar Quintet. Todos os restaurantes são creperias. Estou apaixonado de novo e já vou embora com uma saudade pertubadora. A bientot ma Paris.

Texto de autoria de Armando Santana. Nos encontramos em Paris e, apaixonado por crepes, conseguiu que minhas filhas experimentassem essa delícia antes de retornarmos.

Categorias: Uncategorized

Autor:reparei

"Se podes olhar, vê. Se podes Ver, repara." (José Saramago)

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

2 Comentários em “Crepes…”

  1. 14/04/2011 às 21:01 #

    Os crepes sao tão delicados quanto os sentimentos, basta falta de habilidade e eles se rompem com facilidade. As vezes da para consertar outras tem que se recomeçar do zero. Se perfeitos, sao deliciosos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: