Procura-se

Procuro alguém que possa dividir comigo situações embaraçosas. As mais diversas, se possível. Infelizmente protagonizo muitas. Tombos são minha especialidade, desde os mais simplinhos aos mais cinematográficos, quando por exemplo você cai com os braços abertos, tipo Jesus Cristo, segurando as compras do mercado. Trocar nomes também faz parte do meu rol de constrangimentos; creio que em parte por fazer associações. No último episódio chamei o corretor de Anador em aproximadamente cinco oportunidades, até ser corrigida e descobrir que ele se chama Alívio. Carro é outro problema grave. Já dei vexame em estacionamento por ele ter sido roubado, quando na verdade ele estava lá, estacionado. As colunas da minha garagem também são fontes de grande constrangimento, mas felizmente já peguei o jeito e agora arranho a lataria sempre no mesmo lugar. Terceiros contribuem para esse meu desajuste social, como minha funcionária do lar por exemplo. Ela é exemplar e pediu essa semana para comprar um uniforme de frio. Insistiu para que comprasse e assim pudesse escolher algo adequado e confortável. Ontem ela me aparece feliz da vida, num visual indescritível, com um conjunto de moletom saído do musical FAME… Sinceramente:  só comigo que acontecem essas coisas? (RM)

Categorias: Uncategorized

Autor:reparei

"Se podes olhar, vê. Se podes Ver, repara." (José Saramago)

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

10 Comentários em “Procura-se”

  1. Sarah
    26/05/2011 às 21:01 #

    Pode parar de procurar, voce já achou.
    Poucos exemplos? Voce já subiu no carro de outro achando que fosse o seu marido?
    Voce já saiu com o controle da televisão e falou como se fosse um celular na frente de todo mundo? Eu poderia continuar eternamente, mas vou te poupar…
    Porisso voce pode me chamar, e saber que voce achou sua companheira de situações mais que embaraçantes…

    • 26/05/2011 às 21:01 #

      Sarah, vc não vai acreditar mas já fiz essa do controle!! Tirei o miserável da bolsa no banco e comecei a discar. Aliás, comentei aqui minhas gafes mais recorrentes, nem contei as mais assintosas para não assustar o público. Do carro, pulei umas muito boas. No trabalho tenho várias, mas vou contar a do meu primeiro emprego. Me passaram uma ligação e o cara me pergunta quais os tamanhos de macho eu teria. Mandei o sujeito para um lugar não muito agradável. Para meu infortúnio, descobri se tratar de um dos nossos melhores clientes, que comprava o tal do macho conosco com regularidade, até ser atendido por mim, naturalmente. Podíamos montar um grupo de apoio! Que tal? Beijos e tks pela compreensão. Rejane

  2. Katia
    26/05/2011 às 21:01 #

    Prima, o problema deve ser genetico. Dividimos essa capacidade de criar situacoes embarasosas que divertem o mundo. Eu ja fui trabalhar com sapatos de cores diferentes e meu paciente com dementia foi quem notou. Ja dei com a cara nessas portas de vidro transparentes do banco, deixando minha marca de batom no vidro como prova do vexame. Nota: o banco estava lotado. Sumi, mas nao adiantou. Um conhecido estava presente nao fila e viu o fiasco. Ja tentei entrar em carro que era parecido com o meu… mas nao era o meu. Chamei o policial, expliquei a situacao, para descobrir que antes de arrombar o carro das pessoas e sempre bom dar uma olhadinha na placa do carro… isso se voce souber a sua placa de cor, porque nem isso eu sabia. Tambem tenho esse probleminha com nomes, principalmente em ingles. Charles se torna Jones, Jared se torna Gart e assim por diante…. agora troque nomes de medicos que se odeiam para ver a cara deles… Minha lista e infinita! Um dia sentamos e nos conformamos rindo uma da outra! 🙂

    • 26/05/2011 às 21:01 #

      Ai Jesus, será que é de pai e mãe? Sabe que a mãe esteve aqui em casa ano passado e quase furou olho tentando tirar a lente que já estava guardada…por sorte pisou em cima antes que acabasse cega. É, deve ser de família! Bjs prima, saudades.

  3. 26/05/2011 às 21:01 #

    Não fui eu, mas não resisto. Um dia a mãe de uma amigo foi apresentada a uma senhora, Dna. Guerda. Um mes depois a reencontrou no mercado e a cumprimentou, Boa tarde Dna Gosta…

    • 26/05/2011 às 21:01 #

      Nome é um problema seríssimo! Ainda vou fazer um post só sobre isso 😉

  4. 26/05/2011 às 21:01 #

    Acontece com todo mundo, somente não se comenta… porque hoje todo mundo tem que ser perfeito…. principalmente as mulheres que tem que ser “maravilha” todo o tempo, i.e. super executiva, super mãe, super esposa, super mulher, super filha, super neta, super cidadã, super amiga, super vizinha, super, super, super…
    Ainda bem que você relata humanidades…

    • 26/05/2011 às 21:01 #

      Não que eu deseje isso pra todo mundo, pelo contrário, mas fico feliz em saber que não sou a única! Bjs, Rejane

  5. andrea covolo correa
    26/05/2011 às 21:01 #

    Pior que dizer pra esposa do Giba que minha filha era super fã do marido dela, o
    “Giovane”!! Já é um mico tietar, errar o nome do ídolo então…

  6. Cynthia
    15/06/2011 às 21:01 #

    Gente!! Tô passando mal de tanto rir com vcs. Minha empregada tá passando pra lá e pra cá olhando pra mim pensando que eu vou ter um ataque cardíaco daqui a pouco. Ler esses depoimentos me faz crer que eu sou normal e ainda tenho chance de construir uma vida digna.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: