Julgamento

Ela me contava a história em detalhes. O teor em si já era complicado, mas a maneira como descrevia deixava tudo ainda pior. Uma história triste, com pessoas conhecidas. Já reparou como algumas pessoas tornam a vida vulgar? Rebaixam os sentimentos e trazem a tona os fatos de forma torpe. Carregamos o bem e o mal e fazemos uso tanto de um quanto de outro. E é essa mescla que torna nossa existência complexa, contraditória, plena, interessante. Julgar é condição inata do ser humano. E ao julgar o outro temos a chance de reavaliar nossos valores. Julgar pode inclusive ser o início de uma jornada transformadora. Mas se o julgamento virar fofoca é porque nos julgamos melhores do que os julgados. Por isso me irritei com a história que me foi contada. Ouvi em detalhes como o relacionamento de um casal amigo está deteriorado. Não é assunto para contar com risinho no canto da boca. É assunto pra fazer pensar, pra fazer um exame de consciência e, se necessário, repensar nossa conduta. Julgar só vale a pena para  lembrar que somos humanos e que podemos errar. Não deveria ser usado como recurso para nos sentirmos superiores ou especiais. (RM)

Categorias: Uncategorized

Autor:reparei

"Se podes olhar, vê. Se podes Ver, repara." (José Saramago)

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: