Brunoise ou Passé

Já que resolvi cozinhar, resolvi fazer direito: comecei um curso de gastronomia. E ontem, na primeira aula, me dei conta do quanto a perfeição depende de técnica. Do quanto é difícil fazer como deve ser feito e que a perfeição, antes de ser impossível, é uma inspiração. Cozinhar é como fazer ballet. O resultado depende da execução, a execução depende da técnica e a técnica depende de movimentos precisos. Movimentos que são repetidos várias e várias vezes até que se tornem orgânicos. Ao dominar a técnica é possível transpor a dor, sentir a música e transformar movimentos em poesia. Para quem, como eu, sempre se valeu muito mais de instinto, se valer apenas de técnica torna o aprendizado ainda mais difícil. Desisti do ballet na adolescência. Agora, depois de mais de duas décadas, não tem brunoise, julienne ou chiffonade que me derrube. (RM)

Categorias: Uncategorized

Autor:reparei

"Se podes olhar, vê. Se podes Ver, repara." (José Saramago)

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: